UCAN forum

Primeiro Forum criado por Informáticos Angolanos, destinado à informáticos de todos os níveis, tendo como principal foco o ramo da PROGRAMAÇÃO.Tutoriais, Exposição de dúvidas, Notícias e muito mais...
 
InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Introducao aos sistemas operativos (SO)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
JomarB

avatar

Masculino Número de Mensagens : 49
Idade : 27
Localização : Luanda, Angola
Emprego/lazer : Programar
Data de inscrição : 12/05/2008

MensagemAssunto: Introducao aos sistemas operativos (SO)   Qui Maio 22, 2008 7:06 pm

SISTEMAS OPERATIVOS



O que é um sistema operativo?

Para sistemas operativos, temos várias definições, umas mais formais que outras, podemos definir sistema operativo, de uma maneira formal, dizendo que um Sistema Operativo é um conjunto de programas e dados concebidos especificamente para gerir os recursos de Hardware e facilitar a criação e execução de Software.

De maneira menos informal podemos definir Sistema Operativo, como sendo o Software fundamental que controla todo os recursos de Hardware e faz com que o Software possa ser executado.

A forma mais informal de definir Sistema Operativo, é defini-lo como sendo o interface entre Hardware/Software/e Utilizador.



Entre os Sistemas Operativos exitentes, temos os distribuídos, paralelos e os de tempo real.

Há Sistemas Operativos com ambiente gráfico, como é o caso do Windows, mas tb há sem ambiente gráfico com era o caso do Dos, ou do Linux, embora este nas suas ultimas versões também já tenha a possibilidade de ambiente gráfico.



Eis alguns dos sistemas operativos mais conhecidos.

Acorn, Amiga, Amstrad CPC, Apple II, Atari, A/UX, Avigo, BeOS, BSD, Commodore 64/128, CP/M, DOS, Freedows, GEOS, Linux, MacOS, MSX, Newton, NeXT, Nintendo, NOS, Omni Go, ORIC, OS/2, OS/390, OS/400, Pilot, Play Station, Psion, Saturn, TO and MO, UNIX, ULTRIX, HP-UX, AIX, QNX, UnixWare, SCO Unix, Solaris, VM/SP, VMS, Windows 3.x, Windows 95, Windows 98, Windows NT, Windows CE, Zaurus, Zoomer, ZX.



SISTEMAS OPERATIVOS

Sistemas Operativos para PC's
Windows 95
Windows NT
BeOS
OS/2
Emulators
Rhapsody for Macintosh


Sistemas Operativos Unix e Linux
Unix
Linux
Red Hat Linux
Another Linux Site
FreeBSD


Sistemas Operativos Minix, um pequeno clone Unix
MINIX INFORMATION SHEET
The MINIX Hints Page
minix.org
MINIX
"Advanced Minix" features
Compiling and using Minix network support
Minix_book
Operating Systems: Design And Implementation
Minix on the Net Resources


Os mais utilizados:



UNIX, OS/2 and Windows

OS/2 Fundamentals

Windows 3.x Fundamentals

Essentials of Windows 95

Essentials of Windows NT

Architecture of Windows NT

UNIX Overview
UNIX Technical Awareness



Caracteristicas de alguns Sistemas Operativos:

(Desculpem estar em Inglês, mas ainda não tive tempo para traduzir)



WINDOWS 95

A partir do lançamento das máquinas com processadores 386, em 1987, os micros já dispunham de características de processamento em 32 bits, porém ficavam presos aos limites impostos pelos sistemas operacionais existentes. Lançado em maio de 1992, o OS/2 2.1 foi o primeiro sistema operacional de 32 bits para PC produzido em escala mundial. Com suporte a aplicações DOS e Windows 3.x, o produto ganhou nova versão, a 3.0, lançada há dois anos com o nome de OS/2 Warp. Voltado, a princípio, para subtrair mercado do Windows 3.x e, depois, para ocupar o espaço deixado pelos sucessivos adiamentos da chegada do Windows95, o produto não logrou êxito em nenhuma das duas tentativas. O OS/2, apesar de suas características avançadas para tratamento das informações, não dispunha de plataforma de software que justifica-se a migração dos 16 bits oferecidos pela dupla DOS/Windows 3.x para o novo sistema. Como forma de facilitar o processo de migração, o OS/2 usa as API's do Windows 3.x para que possa rodar uma máquina virtual Windows 3.x dentro de uma seção OS/2, podendo assim rodar aplicativos para Windows 3.x. Como se pode ver, havia um sistema operacional de 32 bits que emulava um outro de 16 bits, isto é, não havia ganho na mudança de plataforma. A IBM não conseguiu atrair desenvolvedores de software, que programassem para o novo sistema operacional, pois entre desenvolver para um ambiente com uma centena de milhões de usuários do ambiente Windows e outro com alguns milhões do OS/2, os produtores de software apostaram na lógica.

Em agosto de 1995, a Microsoft, através de uma campanha de marketing milionária, fez o lançamento mundial do Windows95. Havia fila na porta das lojas para a compra do novo sistema de 32 bits. Aproveitando a publicidade, várias indústrias de software lançaram, também, as versões de seus aplicativos para Windows95.

O Windows95 é completamente diferente do seu antecessor. A primeira grande diferença, é o fato dele ser um sistema operativol, ao contrário do Windows 3.x que dependia do DOS instalado para funcionamento. A grande maioria dos conflitos são causados pela forma diferente de gerenciamento e controle do hardware e dos softwares impostas pelo Windows95, que verifica com maior rigor as características necessárias ao perfeito desempenho da máquina.

Passada a primeira emoção da troca do sistema operativol, começaram a surgir os problemas. Os utilizadores, cansados de GPF, estavam agora com PROBLEMAS NO REGISTO. O novo sistema não reconhecia e muitas vezes não trabalhava com determinado hardware. Alguns softwares também não eram bem vistos pelo Windows95. A tão propalada compatibilidade com aplicativos de 16 bits, não funcionava plenamente. Os utilizadores de jogos que rodavam sobre o DOS, tinham a esperança que com o Windows95, seus problemas de falta de memória acabariam, pois como divulgado, o novo sistema trataria a memória do micro como um todo, sem limite por áreas, e ficaram surpresos ao ver que alguns dos seus jogos não funcionavam com o novo sistema.

Na verdade o que muitos utilizadores descobriram é que a migração para o Windows95 não é uma tarefa simples. Por se tratar de um sistema operativol e não um programa qualquer, vários aspectos devem ser considerados, tais como performance, memória requerida, hardware necessário, espaço no disco rígido, etc...

O uso de um sistema operativol de 32 bits é algo que mais cedo do que pensamos terá que ser feito. O Windows95 talvez não seja a melhor opção olhando pelo lado do sistema, porém é a plataforma que desde o seu lançamento já haviam softwares disponíveis, e hoje, por causa dos softwares de 32 bits não funcionarem sobre a plataforma de 16 bits, várias softhouses começam a pensar em só produzir para a plataforma de 32 bits, significando que, em muito pouco tempo, quem não estiver usando o Windows95, terá que se contentar com softwares antigos e sem os recursos das novas versões.



Twisted Evil Ei pessoal, ainda nao acabei venho ai com a continuacao... Twisted Evil
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
JomarB

avatar

Masculino Número de Mensagens : 49
Idade : 27
Localização : Luanda, Angola
Emprego/lazer : Programar
Data de inscrição : 12/05/2008

MensagemAssunto: Continuacao   Qui Maio 22, 2008 7:10 pm

LINUX


O Linux é um Sistema Operativo. Mais concretamente, é o "kernel" (núcleo) que faz o interface entre a máquina ("Hardware") e as aplicações ("software"), isto na forma mais informal de definir Sistema Operativo.

Ao "kernel" é frequentemente acrescentado uma série de aplicações, formando um sistema ou distribuição Linux. Quando alguém menciona o Linux, está geralmente a referir-se ao sistema completo, isto é, a uma distribuição que contém todos os componentes necessários. Também nós iremos mencioná-lo nesse contexto.

O Linux é gratuito, o que significa que pode ser obtido sem custos. Existem diferentes distribuições disponíveis na Internet para "download", o que pode ser realizado sem "password" ou registo prévio.

Tendo sido criado por Linux Torvalds, pode ser pronunciado de duas formas. Em português, a primeira sílaba ("li") não é acentuada -como em "li(lás)"- e a segunda ("nux") é dita como se adicionasse "nu" e "quese". Assim, deverá ser lido "li-nu-que-se".

Internacionalmente, o Linus aconselha a que se leia da seguinte forma: com um "i" curto, e como se lesse "LIH-nucks" em Inglês, ou "lái-na-que-se" em Português. Deverá rimar com "cynics".

Podendo ser executado numa série de plataformas, foi desenhado especialmente para a família X86 da Intel. Actualmente, existem versões para Sun Sparc e Digital Alpha bastante robustas. O Linux permite tornar um 386 "velhinho" numa estação de trabalho UNIX bastante robusta, sendo compatível com todos os sistemas operativos, sob a norma internacional POSIX do IEEE.

O que torna o Linux diferente, para além de ser a «salvação mundial» face ao «império das trevas» da Microsoft :-), é ter sido desenvolvido cooperativamente por um grupo de voluntários espalhados pelo mundo (da Finlândia à Austrália) e através da Internet. Este grupo de programadores, trocam código, detectam "bugs" e resolvem os problemas num ambiente aberto a terceiros.



Breve Historial do LINUX

Existem versões de UNIX para muitos sistemas, sendo normalmente proprietárias e muito dispendiosas.

O Linux, como já foi dito, é uma versão gratuita de Unix desenvolvida inicialmente pelo Linus Torvalds da Universidade de Helsínquia (Finlândia).

Começando a programá-lo como um passatempo, obteve inspiração do Minix-um pequeno UNIX escrito por Andy Tanenbaum. A primeira vez que foi mencionado num Newsgroup, aconteceu no comp.os.minix, tendo a primeira versão (a 0.02) sido lançada em 5 de Outubro de 1991. Nesta versão, já se podia executar a "bash" (GNU Bourne Again Shell) e o "gcc" (GNU C Compiler).

A partir da versão 0.03 o grupo de desenvolvimento foi alargando, até que a seguir à versão 0.10, Linus lançou a 0.95. Este salto, significava a proximidade do lançamento da versão "oficial". Geralmente, ao software não é atribuído a versão 1, sem que previamente se verifique que não tem qualquer erro ("bug"). Nos ambientes de desenvolvimento de software, costuma-se apenas fazer uma excepção ao atrás referido, quando um software está irremediavelmente mal programado. Nesses casos, atribui-se a versão 95, 98 ou 2000 consoante o grau de irreversibilidade.

Em dezembro de 1993, foi lançada a versão "0.99 pl14" (pl-patch level) que veio a dar origem à primeira versão oficial.

Quase todas as aplicações gratuitas disponíveis para UNIX estão disponíveis para Linux, bem como, algum do software comercial mais conhecido.

Em Portugal, o Linux foi sendo progressivamente adoptado tendo sido as Universidades, as primeiras a optar por este sistema. Existem registos de um "kernel" de 1994 no ISCTE e outros, igualmente antigos, no IST, INESC e na FCUL.

A nível empresarial, os ISPs escolheram-no como um dos seus suportes preferidos para servidores. A Esoterica é dos ISPs que o utiliza há bastante tempo, havendo também conhecimento de servidores da Telepac e a IP que correm sobre "Linux".

Toda a rede portuguesa de IRC, PTnet é suportada por servidores Linux, sendo os «daemons» apenas testados para este Sistema Operativo.



Sony lança sistema operativo para computadores de bolso

A Sony obteve uma licença para criar um sistema operativo para Palm - pequenos computadores que cabem num bolso. O objectivo da empresa é colocar este tipo de computadores nas mãos de milhões de pessoas, informou a Wired.A Sony obteve uma licença para criar um sistema operativo para Palm - pequenos computadores que cabem num bolso. O objectivo da empresa é colocar este tipo de computadores nas mãos de milhões de pessoas, informou a Wired.

A Palm Computing, empresa que desenvole estas unidades, irá incluir o sistema operativo da Sony na sua gama de produtos. A aliança entre as duas empresas, conhecida ontem no Comdex - o grande evento das comunicações, este ano a decorrer em Las Vegas - pretende aumentar significativamente a produção de Palm.
A Sony deu a conhecer a intenção de colocar o sistema operativo numa nova linha de produtos electrónicos de mão. Num comunicado, a empresa revelou que o novo programa "não estará limitado a agendas electrónicas e irá fazer parte de uma vasta gama de produtos de telecomunicações sem fios".
A notícia surge algum tempo depois de a Nokia ter anunciado que irá usar sistemas operativos de Palm na próxima geração de cartões telefónicos inteligentes.



AMIGAOS

Easy Internet Access
Support for Hard disks > 4GB
Modern Graphical User Interface (GUI)
Extensive CD-ROM support
Support for current printers
PowerPC support
HTML Online Documentation
Bug Fixes
Enhancements



SOLARIS
A PLATAFORMA FLEXÍVEL DE SOFTWARE PARA AS ARQUITECTURAS EM REDE

Solaris é a espinha dorsal da computação empresarial, proporcionando uma base software estável, robusta e fiável que o ajuda a suportar uma variedade de configurações de rede e aplicações.

O Solaris é o líder reconhecido da computação empresarial.

Solaris é uma solução multithreading, com elevada capacidade para realização de tarefas simultâneas e multiprocessamento. É escalável numa grande variedade de plataformas, desde computadores portáteis a PCs, estações de trabalho, servidores de médio e grande porte. Para além da sua tremenda escalabilidade - a mesma versão que corre num servidor monoprocessador corre também num servidor central de dados de 64 processadores, o Solaris é ideal como plataforma de desenvolvimento aplicacional, sendo hoje o ambiente de eleição dos principais construtores de bases de dados: Oracle, Informix e Sybase.

Soluções Desktop

Os mais potentes motores desktop são alimentados pelo Solaris. Das estações de trabalho individuais aos sistemas cliente/servidor, o Solaris proporciona toda uma robustez, com um ambiente amigável

Solaris Desktop inclui ferramentas de produtividade tais como o e-mail, calendário passível de partilha, e uma janela de visualização para os utilizadores indivuduais ao mesmo tempo que proporciona aos programadores que desenvolvem aplicações um poderoso ambiente de desenvolvimento. Todas estas características são suportadas pelo CDE (Common Desktop Environment), que proporciona aos utilizadores utilizando diversas plataformas um ambiente standardizado e com base em janelas menus.

Solaris apresenta-se como uma solução desktop para todos os tipos de mercados comerciais. Devido à sua robustez, fiabilidade e performance, o Solaris é o ambiente de eleição para muitas redes cliente/servidor que correm aplicações críticas para o negócio da empresa.

As implementações X86 e Pentium do Solaris oferecem uma solução adicional para aplicações baseadas em redes de PCs. Com esta versão do Solaris, as empresas podem operar LANs e tirarem partido do poder dos microprocessadores Intel numa rede flexível e de baixos custos.

Empresas com apenas alguns poucos PCs podem colocar o Solaris a funcionar nestas plataformas e tirar partido das suas aplicações de contabilidade, facturação, calendário, em suma, podem correr com ele o seu negócio corrente.

Mais importante que tudo, o Solaris torna possível à sua empresa crescer. Se quiser adicionar utilizadores, aplicações, capacidade de processamento, novos escritórios, podem fazê-lo sem preocupações.

Soluções com servidores de rede

Ao apresentar um software distribuído cliente/servidor, o Solaris pode escalar até milhares de estações de trabalho e servidores. E ao mesmo tempo pode configurar e reconfigurar a sua rede.

Solaris permite-lhe construir uma solução de administração de clientes de modo a gerir centralmente grandes redes de PCs. Com ele, os administradores de rede podem administrar qualquer PC ligado ao servidor e estipular políticas e regras, gerir contas e directorias. Mecanismos de visualização amigáveis são geridos num servidor centralizado Solaris, proporcionando total segurança e permitindo aos administradores responderem prontamente às solicitações dos utilizadores da rede sob sua gestão.

Solaris permite ainda que os utilizadores familiarizados com as ferramentas de produtividade Microsoft Windows as possam continuar a utilizar.

Para além disso, pode coexistir igualmente com redes NetWare da Novell, por isso a sua empresa não é obrigada a sacrificar nenhum ijnvestimento que tenha feiro em hardware ou software. Os clientes conectados ao NetWare podem ligar-se ao servidor Solaris, sem terem que se desligar do servidor NetWare. Para além disso o servidor Solaris pode conectar LANs, WANs com produtos IPX/SPX e TCP/IP integrado.

O suporte do SNMP (Simple Network Management Protocol) concede aos gestores de rede a capacidade de monitorarem e controlarem PCs, servidores e outros recursos como impressoras.

Soluções com servidores empresariais

Solaris permite-lhe migrar de ambientes legados para uma configuração cliente/servidor com qualquer nível de abrangência.

Ao proporcionar aos utilizadores da rede acesso a poderosas aplicações distribuídas, ligação à Internet e extensas opções de administração, o Solaris proporciona às empresas uma base comum para ligar as suas múltiplas ilhas dispersas no reino da computação.

Solaris funciona como o motor de elevada performance que os processos transaccionais exigem. Também proporciona a disponibilidade e fiabilidade que as aplicações de missão crítica requerem. Esta é uma das muitas razões porque o Solaris foi escolhiso como a plataforma de eleição para os sistemas de bases de dados relacionais. A escalabilidade do Solaris fez dele a plataforma líder para servidores multiprocessamento.

Solaris proporciona as características requeridas para manipular, armazenar e fazer o backup de grandes volumes de dados. Para além de satisfazer requisitos de alta disponibilidade, as implementações do Solaris suportam clustering e hot plugging para prevenir falhas do sistema. Na verdade, de acordo com ratings RAS (reliability, availability, serviceability), o Solaris está entre os ambientes de eleição para a computação empresarial.

Soluções Internet

Como sistema operativo robusto contruído sobre uma rede TPC/IP, o Solaris é a base para o acesso à Internet, segurança, publishing e comércio electrónico. Na verdade, muitos dos servidores na Internet correm o Solaris.

Como servidor Internet gateway, o Solaris proporciona aos utilizadores um acesso directo à informação mundial através da Internet. O Solaris combina um software servidor de fácil instalação com todas as ferramentas e software aplicacional necessário para estar pronto a correr em cerca de ½ hora.

As soluções de acesso à Internet Solaris também facilitam o acesso à Internet via desktops. Os utilizadores podem pois partilhar ficheiros, trocar email e navegar na World Wide Web. O Solaris é também a base para a Java, a linguagem interactiva de programação na Internet

Com as soluções Solaris você não necessita de grandes conhecimentos UNIX. As soluções Internet Solaris não afectam o ambiente do utilizador ou comunicações LAN, por iso não importa que plataforma desktop esteja instalada, o Solaris é um ambiente poderoso e seguro para capitalizar no futuro da computação de rede.

Bem tentei fazer aqui uma pequena introducao, para mais informacoes veja aqui http://alumni.ipt.pt/~deeold/so99x07/public_html/sistemas.htm

Twisted Evil Abracos Twisted Evil
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Giovanny Ritchie

avatar

Masculino Número de Mensagens : 95
Idade : 27
Localização : Luanda, Angola
Data de inscrição : 05/05/2008

MensagemAssunto: Re: Introducao aos sistemas operativos (SO)   Dom Maio 25, 2008 1:35 am

Good !!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Josemar Jobs

avatar

Masculino Número de Mensagens : 81
Idade : 28
Localização : Luanda-Angola
Data de inscrição : 05/05/2008

MensagemAssunto: Re: Introducao aos sistemas operativos (SO)   Seg Maio 26, 2008 3:39 pm

Valeu Jomar, muita coisa aí eu não sabia,..........
continue sem nos deixar mal, aqui a cena funciona assim,.........
fuiiiiiii,..... study
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Introducao aos sistemas operativos (SO)   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Introducao aos sistemas operativos (SO)
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
UCAN forum :: Programação e Informática Geral :: Sistemas Operativos-
Ir para: